Objeto: Aferir impactes climáticos e caminhos de descarbonização em ilhas da EU, e aprimorar avaliações socioeconómicas e não-financeiras das alterações climáticas na Europa, para 2050 e além.
Parceiros: Universidad de Las Palmas de Gran Canaria – ULPGC; Instituto Tecnologico de Canarias, S.A. – ITC; Universitat de Les Illes Batears – UIB; Centro Tecnologico de Ciencias Marinas – CETECIMA; Universidad de Castilla – La Mancha – UCLM; Gesellschaft Fuer Wirtschaftliche Strukturforschung MBH – GWS MBH; Tourisme Territoires Tranports Environnement Conseil – TEC; The Cyprus Intitute – CYI; National Observatory of Athens – NOA; Osservatorio Turistico delle Isole Europee – OTIE; Anci Sardegna – ANCI; Aquabiotech Limited – ABT; Interfusion Services Limited – INTERFUSION; Buckimghamshire New University – BNU; Agenzia Nazionale Per Le Nuove Tecnologie, L’Energia e Lo Sviluppo Economico Sostenible – ENEA;  Universite Des Antilles – UA; E3 – Modelling IKE – E3M; Baltic Environmental Forum Deutschland EV – BEF Germany; Alma Mater Studiorum  – Universita Di Bologna – UNIBO; Fondazione Centro Euro-Mediterraneo Sui Cambiamenti Climatici – Fondazione CMCC; Fciencias.ID – Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências – FCiencias.ID; Johann Wolfgang Goethe-Universitatfrankfurt AM Main – GUF; Kriti – KRITI.
Financiamento: Programa Horizonte 2020 da União Europeia para a Investigação e Inovação (Projeto n.º 776661).
Duração: 2017-2020.

Objetivos

  • Desenvolver uma compreensão profunda de como irão ocorrer os impactos das Alterações Climáticas nas ilhas da UE, localizadas em diferentes regiões do mundo, considerando vulnerabilidades específicas e melhorando assim os modelos climáticos existentes;
  • Contribuir para a melhoria da avaliação económica dos impactes climáticos e políticas relacionadas com os sectores da Economia Azul da UE, através da adoção de métodos revealed and stated preference (Experiências de Escolha Discreta – DCE), para, por um lado, medir e analisar os custos não mercantis de diferentes cenários de Alterações Climáticas, e, por outro lado, medir os benefícios não mercantis de ações climáticas (mitigação e adaptação);
  • Melhorar a eficácia da modelação de cadeias de impacte climático, através da implementação de um referencial metodológico integrado (GINFORS, GEM-E3 e indicadores não mercantis), na análise de impactes socioeconómicos induzidos pelo clima em 11 casos de estudo em ilhas da UE, sob diferentes cenários climáticos, no horizonte 2030-2100, com uma perspetiva trans-setorial (setores da Economia Azul da UE), proporcionando um passo em frente para os resultados do projeto PESETA;
  • Facilitar o processo de decisão em políticas relacionadas com o Clima para o Crescimento Azul, através da classificação e mapeamento das estratégias de adaptação, mitigação e gestão de risco mais viáveis, e a construção de um referencial comum para a governança das Economia azul com um sistema de troca de informação regional (REIS) para a Europa e as ilhas da UE;
  • Entregar, através de ferramentas inovadoras de suporte à decisão, informação localizada e precisa aos decisores políticos, profissionais e outras partes interessadas relevantes, acerca do ambiente e as consequências socioeconómicas da mudança climática global na economia azul, e formular recomendações baseadas em ciência para incentivar a transição de baixo carbono de médio/longo-termo, reforçando assim a interface ciência-política, aumentando o alerta social, e contribuindo para a competitividade da indústria costeira e marítima Europeia.

Principais Atividades
e Resultados

  • Definir ligações complexas entre impactes (mudanças climáticas, impactes biofísicos, índices sectoriais económicos, efeitos na oferta-procura) e diagnostico dos conjuntos de dados input output (em cada ilha/ 4 sectores);
  • Identificar os cenários tecnológicos de custo-eficácia que exibam menos emissões e impactes que o cenário atual, nos arquipélagos participantes;
  • Modelar, simular e validar os resultados através da utilização de dados experimentais;
  • Construção de um plano de decisão (objetivos, critérios, critérios secundários e soluções);
  • Hierarquização das soluções (método de análise hierárquica) para cada território participante e a análise de sensibilidade correspondente.
Mais informação: http://soclimpact.org/